Filmes 2015

RIO DE COUROS
De Artur Azedo com Argumento de Joaquim Santos Simões
Quinta 22, 21h45 na Blackbox da Plataforma das Artes
1980| 22 min | M/12

Couros-filme-4

Foto: http://www.csarmento.uminho.pt

RIBEIRA ACIMA
De António Fernandes, Luisa Alvão, Ricardo Leite e Teresa Magalhães
Quinta 22, 21h45 na Blackbox da Plataforma das Artes
2013| 25 min | M/12

S02

TAPPED – A BATALHA PELA ÁGUA
De Stephanie Soechtig e Jason Lindsey,
Sabádo 24, 14h45 na Blackbox da Plataforma das Artes
2009| 76 min | M/12

Documentário norte-americano que nos leva aos meandros da indústria da água engarrafada. Os realizadores centraram-se nas gigantes desta indústria, as Águas Nestlé e a PepsiCo. Visitaram uma cidade onde a Nestlé tem uma fábrica instalada, assim como realizaram testes às garrafas que a empresa utiliza. Uma das conclusões apresentada neste documentário é que, na realidade, cerca de 40% da água engarrafada é, na verdade, água da rede filtrada.



FLUXO – POR AMOR À AGUA
De Irena Salina
Sabádo 24, 17h15 na Blackbox da Plataforma das Artes
2008| 93 min | M/12

Vencedor de diversos prémios, Flow foi apresentado na ONU como parte do 60º Aniversário da Declaração dos Direitos Humanos. O filme mostra todos os problemas originados na sociedade a partir da perspetiva do consumo de água, elemento básico para a vida humana. O documentário deixa claro que o problema de abastecimento e a lógica desse mercado não são problemas distantes: estão a acontecer agora em todo o mundo. A pergunta que o filme não cala é: Quem é o dono da água? Quem tem poder sobre ela? “A água é um recurso natural, é um recurso comum. Não é uma propriedade.”



A THIRSTY WORLD – UM MUNDO COM SEDE
De Thierry Piantanida, Baptiste Rouget-Luchaire
Domingo 25, 14h45 na Blackbox da Plataforma das Artes
2012| 90 min | M/12

“Um mundo com sede” do renomeado fotógrafo  cineasta francês Yann Arthus-Bertrand, foi produzido para o Forum Mundial da Água em Marselha, em 2012 e aborda várias questões  relacionadas à água no mundo. O filme mantém a mesma linguagem característica dos filmes de Yann Arthus-Bertran, com imagens aéreas para ilustrar  questões planetárias como a água, confrontando com a realidade do que acontece no nível do solo e ao mesmo tempo dá voz àqueles que  na Europa, África, Ásia e América se empenham em inovar para fornecer água onde está faltando, usá-la de forma mais  inteligente, purificar e, ainda melhor, parar com a poluição das águas.



WATERMARK – AS MARCAS DA ÁGUA
De Jennifer Baichwal e Edward Burtynsky
Domingo 25, 18h00 na Blackbox da Plataforma das Artes
2013| 92 min | M/12

Todo ser vivo necessita de água. Nós, humanos, interagimos com ela de várias formas e várias vezes ao dia. Mas com que frequência consideramos a complexidade dessa interação? As Marcas da Água reúne diversas histórias de todo o mundo sobre nossa relação com a água

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s