Caminhada “Subir a Rendufe” (Feira da Terra 2017)

No próximo dia 8 de julho, a AVE volta a colaborar na Feira da Terra (organização da ADCL), com uma caminhada pelo território torcatense. Todos os anos procuramos inovar e dar a conhecer zonas menos conhecidas desse belo vale. Desta vez, iremos explorar a encosta entre São Torcato e Rendufe, num percurso de 9 km.

Adira ao evento da caminhada no Facebook e fique a par de todas as informações até à data do evento.

Não é necessária inscrição na caminhada. Basta aparecer!

Apesar da caminhada ser curta e terminar previsivelmente antes das 13h, não havendo portanto piquenique, recomendamos que tragam um lanche da manhã e água suficiente para eventuais altas temperaturas.

NOTA: esta caminhada não inclui seguro e pode ser alterada por razões externas à organização.

Subindo a Rendufe

Vamos percorrer um caminho que vai de São Torcato, saindo do Terreiro desta vila, até Rendufe e regressa pela zona de fronteira com Atães (entrando nesta freguesia), passando pela Corredoura e regressando ao ponto de partida.

Gostaríamos de fazer três apontamentos de situações que iremos encontrar ao longo do percurso:

  • Com a importância dada ao transporte automóvel, pela nossa sociedade, cada vez é mais difícil percorrer caminhos que habitualmente ligavam as diferentes povoações e que agora são intransitáveis. Alguns troços de estradas que iremos percorrer, que nos permitem ligar caminhos preferencialmente pedonais, não contemplam zonas dedicadas aos peões, estando ocupados pela via dedicada aos automóveis. Alguns troços dessas estradas são percorridos, a pé, diariamente pelos moradores.
  • É cada vez mais difícil traçar percursos nas nossas aldeias, em locais aprazíveis, pois a nossa floresta está tomada pelo eucalipto levando a um empobrecimento da paisagem.
  • A vedação da propriedade privada e a apropriação de zonas que deveriam ser de acesso a todos (como sejam as margens ribeirinhas, os antigos caminhos públicos, etc.) por vezes fazem-nos sentir “presos cá fora”.

Logística

Pretendemos iniciar a caminhada às 9h00, na igreja de São Torcato. O ponto de encontro será às 8h45, perto da escadaria da igreja, junto ao recinto da Feira da Terra.

Para alguma eventualidade em que seja necessário contactar a organização, podem ser usadas duas alternativas: info@ave-ecologia.org (e-mail) ou 912 840 699 (telefone).

Ficha técnica

  • Distância: 9 km
  • Dificuldade: média, com algum desnível na primeira metade do trajeto.
  • Duração estimada: 4 horas

Antevisão

feiraterra01feiraterra02

Caminhar em Guimarães: Por Terras de Souto, Gonça e Gondomar

No próximo dia 4 de junho, em jeito de celebração do Dia Mundial do Ambiente, vamos voltar ao nosso “Caminhar em Guimarães” e partir à descoberta da parte norte do concelho, que se caracteriza, ainda, pela sua ruralidade. Iremos conhecer o território de Souto (Santa Maria), Gonça e Gondomar onde, para além dos atrativos dos cenários rurais, iremos também contactar com realidades menos românticas, como é o caso do já desativado aterro sanitário de Gonça e de algumas pedreiras de Gondomar, famosas pelos danos já causados à qualidade da água do rio Ave. Trata-se de uma boa oportunidade para o caminhante conhecer de perto aquilo que provavelmente só conhece dos jornais. Perto do final da caminhada de 9 km, iremos realizar um agradável piquenique à sombra do arvoredo que ladeia o conjunto de moínhos do Ribeiro, em Souto.

Adira ao evento da caminhada no Facebook e fique a par de todas as informações até à data do evento.

Não é necessária inscrição na caminhada. Basta aparecer! A caminhada é gratuita para os associados da AVE com quotas em dia e terá o custo simbólico de 1 euro para os restantes participantes.

NOTA: esta caminhada não inclui seguro e pode ser adiada ou alterada por razões externas à organização.

Por terras de Souto, Gonça e Gondomar

Partindo do cemitério de Souto Santa Maria, vamos passar junto aos aviários, e daí, subir o monte até ao aterro de Gonça. Na descida, vamos contemplar a paisagem ímpar do vale do Rio Ave e os montes de São Romão (Citânia de Briteiros), Sameiro e Santa Marta. As pedreiras de Gondomar estão à nossa espera, para nos mostrar a desfiguração paisagística e a poluição ambiental, do ar e da água, por elas provocada.

Já quase no final do percurso, surgem os moínhos do Ribeiro, local de rara beleza, onde, à sombra de grandiosos carvalhos e de outras árvores autóctones, vamos comer o almeiro e relaxar com o som da água que corre em sucessivas cascatas formadas pelo desnível dos penedos. Eram cinco os moínhos de cubo que constituíam este “verdadeiro complexo pré-industrial”, dos quais um está restaurado e à espera da nossa visita.

Logística

Pretendemos iniciar a caminhada às 9h30, junto ao cemitério de Souto Santa Maria. Estimando uma viagem com duração de 15 minutos a partir de Guimarães, o ponto de encontro terá lugar junto à entrada do campus da Universidade do Minho, em Azurém, às 9h00. Recomendamos a partilha de automóvel, para diminuirmos a pegada ecológica desta atividade.

Perto do final da caminhada, faremos um pique-nique. Cada participante deverá levar o seu próprio farnel.

Para alguma eventualidade em que seja necessário contactar a organização, podem ser usadas duas alternativas: info@ave-ecologia.org (e-mail) ou 912 840 699 (telefone).

Ficha técnica

  • Distância: 9 km
  • Dificuldade: média, com algum desnível na primeira metade do trajeto.
  • Duração estimada: 4 a 5 horas

Antevisão

Aldeias das Margens do Rio Vizela

No passado dia 10 de abril, comemorou-se o 16.º aniversário da AVE. Como gostamos de celebrar a efeméride com a nossa comunidade de associados e amigos, convidamo-vos a festejar connosco em Fafe, com a caminhada “Aldeias das Margens do Rio Vizela”, no próximo dia 23 de abril! Ao longo de aproximadamente 15 km, as águas puras e cristalinas dos ribeiros, os bosques de carvalhos e os pequenos campos laboriosamente trabalhados que ladeiam o rio Vizela convidam o caminhante a sonhar.

Adira ao evento da caminhada no Facebook e fique a par de todas as informações até à data do evento.

Não é necessária inscrição na caminhada. Basta aparecer!

Aldeias das Margens do Rio Vizela

O percurso “Aldeias das Margens do Rio Vizela” (PR2 FAF) tem início na aldeia de Lagoa, junto ao santuário da Senhora das Neves, e leva os caminhantes a conhecer várias aldeias situadas ao longo dos primeiros quilómetros do rio Vizela – Gontim, Felgueiras, Pedraído e, claro, Lagoa -, além dos antiquíssimos e interessantes caminhos rurais, por calçadas mais ou menos preservadas, num sobe e desce constante pelas encostas das Serras de Fafe.

Ao longo do percurso deparamo-nos com uma das maiores e mais belas manchas de carvalhal do concelho e das regiões circundantes. Com efelto, na zona de Gontim e Pedraído, ainda somos surpreendidos com uma moldura florestal onde abunda o carvalho-alvarinho (Quercus robur) e, em menor escala, o carvalho-negral (Quercus pyrenaica) e outras arvores caducifólias, exemplos de um coberto vegetal riquíssimo. Nos vales do Vizela e dos seus afluentes, os salgueiros, amieiros, freixos e
choupos associam-se a prados marginais inundados por herbáceas de flores
multicolores e a zonas sombrias atapetadas por musgos e fetos de diversas
espécies, numa amostra da riqueza da flora ribeirinha.

Logística

Pretendemos iniciar a caminhada às 9h30. Estimando uma viagem com duração de 30 minutos a partir de Guimarães, o ponto de encontro terá lugar junto à entrada do campus da Universidade do Minho, em Azurém, às 8h40. Recomendamos a partilha de automóvel, para diminuirmos a pegada ecológica desta atividade.

Durante a caminhada, faremos um pique-nique sensivelmente a meio do percurso. Cada participante deverá levar o seu próprio farnel.

Ficha técnica

  • Distância: 15 km
  • Dificuldade: média, com alguns segmentos de piso muito irregular
  • Duração estimada: 7 a 8 horas

Aperitivo visual

Algumas imagens são da autoria do blog “O Nosso Rasto“.

 

Trilho de São Bento de Vizela

A próxima caminhada da AVE, a primeira da nova direção eleita na Assembleia Geral do passado dia 24 de fevereiro, é aqui ao lado, no concelho vizinho de Vizela. Propomos uma adaptação do percurso do Trilho de São Bento, um trajeto que combina zonas mais planas, junto às margens do rio Vizela, e zonas de maior declive, na ligação ao templo-miradouro de São Bento. A atividade está agendada para 26 de março (domingo).

Adira ao evento da caminhada no Facebook e fique a par de todas as informações até à data do evento.

Não é necessária inscrição na caminhada. Basta aparecer!

Trilho de São Bento

Este percurso tem início no Parque das Termas, na zona ribeirinha, junto ao Campo Municipal de Mini-Golfe – Fonseca e Castro. É um itinerário montanhoso, cheio de património religioso, cultural e natural, repleto de paisagens sobre a cidade de Vizela e freguesias circundantes.

O Parque das Termas é considerado o “pulmão” da cidade de Vizela, sendo um amplo e magnífico espaço natural. O Parque foi construído entre 1885 e 1886, tendo sido delineado e plantado pelo floricultor e horticultor José Marques Loureiro. Neste espaço, de vasta vegetação, encontram-se algumas árvores centenárias.

Após percorrer algumas centenas de metros ao longo do rio Vizela, o percurso torna-se mais montanhoso, percorrendo um trilho até ao Santuário de São Bento das Pêras. No cimo do monte, a uma altitude de 454 metros, através do seu miradouro observa-se um dos mais belos panoramas de todo o concelho de Vizela.

Logística

Pretendemos iniciar a caminhada às 9h30. Estimando uma viagem com duração de 20 minutos a partir de Guimarães, o ponto de encontro terá lugar junto à entrada do campus da Universidade do Minho, em Azurém, às 8h50. Recomendamos a partilha de automóvel, para diminuirmos a pegada ecológica desta atividade. O melhor local para estacionar em Vizela é no parque acima do campo de mini-golfe, cuja entrada é comum à da discoteca Maquias, na Rua de Frades (ver no Google Maps).

Durante a caminhada, faremos um pique-nique no parque de merendas de São Bento, mais ou menos ao km 7. Cada participante deverá levar o seu próprio farnel. Caso esteja a chover à hora do almoço, a Confraria de São Bento disponibilizará um espaço abrigado da chuva. Junto ao parque de merendas, poderão encontrar sanitários.

Ficha técnica

  • Distância: 11 km
  • Dificuldade: média, com desnível acentuado em alguns segmentos da ascensão a São Bento.
  • Duração estimada: 6 a 7 horas
  • Apoios: Confraria de São Bento e Município de Vizela

Aperitivo visual

Nas encostas do Marão: Covelo do Monte

Após um (demasiado) longo interregno, as caminhadas da AVE estão de volta! Propomos, como primeiro objetivo pedestre de 2017, a Serra do Marão, mais precisamente um percurso à volta da aldeia serrana de Covelo do Monte, em Amarante. A atividade está agendada para 12 de fevereiro (domingo).

Faça já a sua inscrição na caminhada!

Covelo do Monte

Covelo do Monte é uma pequena aldeia encostada à vertente norte do Marão, a pouco mais de 600m de altitude, com características típicas de povoamentos de montanha: construções em xisto mescladas com habitações mais recentes, arruamentos muito estreitos, e uma economia assente no pastoreio e na agricultura de subsistência.

O percurso que vos propomos tem cerca de 9 km e dar-vos-á a conhecer diversos aspetos da envolvência natural e edificada de Covelo do Monte: as encostas ventosas e quase despidas de vegetação, com vistas de longo alcance para o Alvão, Cabreira, Serras de Fafe e Gerês; as manchas de floresta abrigadas da aspereza do Marão; os riachos que escorrem para o Tâmega; as calçadas de xisto já muito desgastadas e desconjuntadas; e os campos que ainda resistem ao abandono.

Logística

Pretendemos iniciar a caminhada às 10h00. Estimando uma viagem com duração de 60 minutos a partir de Guimarães, o ponto de encontro terá lugar junto à entrada do campus da Universidade do Minho, em Azurém, às 8h30. Sugerimos duas alternativas de trajeto automóvel: via A11+A4 ou via N101+N15. Em ambos os casos, os automobilistas deverão posteriormente seguir via IP4 e sair em Aboadela. Haverá novo ponto de encontro após a saída, na rotunda de acesso a Aboadela (41º16’43.9”N, 7º59’32.9”O), às 9h30. Recomendamos a partilha de automóvel, para diminuirmos a pegada ecológica desta atividade.

A aldeia de Covelo do Monte (41º18’00.6”N 7º57’06.5”O) é bastante isolada e o único café da aldeia raramente se encontra aberto, pelo que devem estar preparados para serem auto-suficientes durante a atividade.

No final da caminhada, faremos um pique-nique no Parque de Lazer da Lameira, situado a cerca de 2 kms de Covelo do Monte. Para os mais dependentes de cafeína, há sempre a possibilidade de compensarem a falta na Pousada do Marão, a 1 km do parque da Lameira.

Ficha técnica

  • Distância: 9 km
  • Dificuldade: média, com pouco desnível, mas tecnicamente exigente em alguns segmentos, devido ao piso irregular
  • Duração estimada: 3 a 4 horas
  • Apoios: Junta de Freguesia de Aboadela, Sanche e Várzea e Associação Desportiva de Amarante.

Aperitivo visual